Image and video hosting by TinyPic

O melhor conteúdo da região

Tecnologia do Blogger.

Espetáculo inicia comemorações dos 20 anos da Cia de Dança do Sesc Petrolina

Publicado em 27/06/2014, às 19h02

Foto: Divulgação
A pré-estreia para convidados do espetáculo Rio de Contas, marca no próximo dia 4 (sexta – feira), às 20h, no Teatro Dona Amélia, o início das comemorações dos 20 anos da Cia de Dança do Sesc Petrolina. O espetáculo, que será apresentado ao público no mesmo horário nos sábados e domingos (5, 6, 12, 13, 19 e 20 de julho), foi Inspirado no conto, Nas águas do Tempo, do escritor moçambicano Mia Couto e tem a direção de Jailson Lima.

Com 18 intérpretes criadores no palco, uma trilha sonora assinada por Sônia Guimarães e os cenários do artista plástico Antonio Carlos Coelho de Assis – Coelhão, Rio de Contas lança um olhar poético sobre o rio a partir da metáfora: “a água e o tempo são irmãos gêmeos nascidos do mesmo ventre”. Daí em diante, o espetáculo mostra em movimentos, as contas da vida, como miçangas, colando dores, amores e sonhos…”, como bem assinalou Jailson Lima.

20 Anos da Cia

Com Rio de Contas, a Cia de Dança do Sesc Petrolina soma a apresentação de 15 espetáculos ao longo de uma história de muita determinação, lutas e conquistas em 20 anos de existência. Referência da dança no Vale do São Francisco, o grupo é o único no interior do Estado, a desenvolver um trabalho sistemático na linguagem de dança contemporânea há tanto tempo.

Tendo iniciado os trabalhos em 1995, com o espetáculo Fragmentos, a Cia de Dança do Sesc Petrolina recebeu em 2012 o prêmio APACEPE de melhor espetáculo e melhor trilha sonora com a montagem titulada, Eu Vim da Ilha, que participa agora em julho do festival de inverno nas cidades de Teresópolis e Friburgo (RJ).

Responsável pela formação de profissionais na área, possibilitando novos caminhos para instrutores, bailarinos e coreógrafos, a Cia já levou a dança de Petrolina para diversas regiões do país. Durante esta trajetória, foram montados ainda os espetáculos, Labirintos (1997), Chamas (1999), Fábrica Mix e Ondas Cardiocerebrais (2001), Fênix (2002), Fuá na Casa de Zé Mané e Riscos (2003), Viva Seu Lua (2004), Bailantes Brincantes Dançantes e Ao Amor e à Dor (2006), Esbórnia (2008), Eu Vim da Ilha (2011) e Tatudobrega (2012).

As informações são da Clas Comunicação
Compartilhe no Google +

Blog Revista do Vale

Os comentários publicados abaixo são de total responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da Revista do Vale.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário