Image and video hosting by TinyPic

O melhor conteúdo da região

Tecnologia do Blogger.

Avançam as obras de sistema que levará água a 40 mil pessoas no norte baiano‏

Publicado em 04/07/2014, às 16h49
Da Redação, com assessoria da Codevasf

Foto: Divulgação
Cerca de 40 mil pessoas que vivem em diversas localidades no norte da Bahia passarão a ter água tratada em suas torneiras após a conclusão das obras de implantação do Sistema Integrado de Abastecimento de Água (SIAA), do município baiano de Campo Alegre de Lourdes. A obra está em pleno andamento, com mais de 50% dos serviços já executados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). A empresa está investindo recursos da ordem R$ 79,6 milhões, no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento, vertente PAC Prevenção.

Com a conclusão das obras, um total de 71 localidades dos municípios de Pilão Arcado e Campo Alegre de Lourdes – incluindo a sede do município – contarão com abastecimento de água captada por meio de flutuante no reservatório de Sobradinho. “Estamos verificando a possibilidade de atendermos também a algumas localidades de Remanso sem comprometer a vida útil do sistema”, explica o engenheiro civil Marcelo Silva Peixoto, fiscal da obra.

Estão sendo construídos sete subsistemas – dois em Pilão Arcado e cinco em Campo Alegre de Lourdes –, que serão compostos por adutora, elevatória, reservatório, rede de distribuição e ramais. O sistema contempla 371 km de adutoras e subadutoras e 120 km de redes de distribuição para levar água até as residências.

Serão construídas, ainda, duas estações de tratamento de água. A realização de quase quatro mil novas ligações domiciliares também está prevista no contrato. A obra está preparada para ter uma vida útil de 30 anos.

O município baiano de Campo Alegre de Lourdes está situado na divisa com o Piauí. Embora esteja dentro da área de influência do Vale do São Francisco, fica a 120 km de distância do rio. Não é cortado por nenhum curso de água permanente e localiza-se no chamado polígono da seca. Na região não há viabilidade para perfuração de poços e a única solução para abastecimento de água da população, de forma permanente, é a captação no rio São Francisco.

Além de melhorar o fornecimento de água na região, o sistema também terá um impacto social positivo devido à redução de doenças de veiculação hídrica, que culminarão com a redução de gastos públicos com saúde.
Compartilhe no Google +

Blog Revista do Vale

Os comentários publicados abaixo são de total responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da Revista do Vale.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário