O melhor conteúdo da região

Tecnologia do Blogger.

Dispositivo transforma suor em água potável

Publicado em 23/08/2014, às 12h36

Máquina que converte a excreção corporal em água foi apresentada durante um torneio de futebol.
(Foto: Reprodução)
Em parceria com um engenheiro e uma agência de publicidade, a Unicef criou um dispositivo que converte o suor em água potável. Os criadores afirmam que o objetivo da invenção bizarra é alertar a população sobre a escassez do recurso, gerando uma alternativa de produção de água potável, que pode ser direcionada para as localidades que têm acesso limitado ao recurso básico.

Batizado de Sweat Machine (livremente traduzido para “Máquina de Suor”), o dispositivo foi criado pelo engenheiro Andreas Hammar, que usou um filtro para extrair água potável de roupas usadas depois da prática de esportes. Primeiramente, o equipamento elimina as enzimas das peças de vestuário por meio de uma secadora, que gira e espreme as roupas usadas até concentrar a quantidade desejada do líquido.

A partir daí, o suor retirado das roupas é aquecido, evapora e passa por filtros especiais, responsáveis por eliminar sais, bactérias e outras propriedades indesejáveis encontradas na excreção corporal. Em sua forma líquida, o resíduo passa por um sistema caseiro – semelhante a um filtro de café – capaz de remover as fibras dos tecidos, e pronto: o suor se converte em água própria para consumo. O vídeo abaixo demonstra a curiosa transformação:

Para comprovar a eficiência do equipamento, a Unicef realizou testes com as roupas das pessoas que praticaram atividades físicas durante um campeonato de futebol na Suécia. Além de contribuir para a produção de água potável, as pessoas que se exercitavam no local também experimentaram amostras do líquido resultante da máquina de suor, comprovando que a água estava própria para consumo.

As informações são do Portal Ciclo Vivo, com Discovery News.
Compartilhe no Google +

Blog Revista do Vale

Os comentários publicados abaixo são de total responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da Revista do Vale.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário