Image and video hosting by TinyPic

O melhor conteúdo da região

Tecnologia do Blogger.

Dado como morto, homem de 54 anos é encontrado vivo em necrotério de hospital na Bahia

Publicado em 25/08/2014,às 20h55

Waldelúcio retornou para UTI de hospital
(Foto: Acervo Pessoal)
O paciente Waldelúcio de Oliveira Gonçalves, de 54 anos, que foi declarado morto e encontrado vivo no dia seguinte, foi transferido para o Hospital Santo Antonio, das Obras Sociais Irmã Dulce, na manhã desta segunda-feira (25).

Waldelúcio foi declarado morto no final da noite de sábado (23) e encontrado vivo pelo irmão na madrugada de domingo (24) dentro de um saco no necrotério do Hospital Geral Menandro de Farias (HGMF). 

Segundo Patricia Gonçalves, sobrinha de Waldelúcio, a família foi informada por volta das 23h de sábado (23) que havia falecido após uma insuficiência respiratória e falência múltipla dos órgãos.

Cerca de duas horas depois, o irmão do 'falecido' teve acesso à sala para vestir o corpo de Waldelúcio e percebeu que o saco estava se movimentando.

"O saco estava fechado e se mexendo. Subindo e descendo como se ele estivesse respirando. Daí ele [irmão de Waldelúcio] chamou todo mundo pra ver o que estava acontecendo. Já estava com os pés amarrados e com algodão no nariz e ouvidos", contou Patrícia ao jornal Correio da Bahia por telefone.

Waldelúcio, que sofre com câncer, seria internado nesta próxima terça-feira (26) no Hospital Santo Antônio. Porém, na manhã de sábado (23) ele passou mal e resolveram leva-lo para a emergência do Hospital Menandro. "Ele acordou com falta de ar. A tia dele achou que era a melhor opção e realmente foi. Quando eles chegaram, foram bem atendido e já mandaram entrar. Nem precisou parar pra preencher ficha antes", lembra Patrícia. 

A direção do Hospital Geral Menandro de Faria (HGMF) abriu nesta manhã uma sindicância interna para apurar o caso. Segundo a Secretaria de Saúde da Bahia, a diretora geral do hospital, Margarida Miranda, vai se reunir hoje com a equipe que atendeu Waldelúcio, incluindo a médica que assinou a declaração de óbito do paciente.

O Correio da Bahia procurou a Sesab e foi informado que a reunião acontece em confidencialidade, e que a situação ainda está sendo investigada.

As informações são do Correio da Bahia.
Compartilhe no Google +

Blog Revista do Vale

Os comentários publicados abaixo são de total responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da Revista do Vale.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário